Desenvolvimento da Linguagem nos Bebés
Homepage – Blog
Publishing Date: Maio 17, 2020

Desde as primeiras semanas de vida, que os bebés nascem com muitos “truques” para comunicar, dado ser algo inato ao ser humano. Desde os movimentos dos lábios, à agitação de todo o seu corpo, não é possível ignorar a sua capacidade de comunicação. Fazem-no, porque estão “programados” para aprender a linguagem e responder às vozes humanas. Desde a nascença que o bebé necessita e quer aprender a linguagem. Primeiro, surge aquilo que denominamos de período pré-linguístico, em que o bebé comunica através de produções sonoras como, por exemplo, o choro, o riso, o palreio e a lalação. Nesta fase, devemos também salientar a sua reacção aos sons, se este identifica a fonte sonora direccionando o seu olhar para ela.

 

A descoberta da comunicação

O choro é a forma mais eficaz de comunicação que o bebé dispõe contudo, por volta dos 2 meses, começa a emitir outros sons vocálicos que conciliados com os sorrisos e as gargalhadas formam o palreio. Quando o bebé palra, os adultos respondem com elogios ou frases carinhosas, criando um processo bidireccional, de estímulo-resposta que se assemelha à conversação. Os bebés aprendem regras básicas da linguagem muito antes de serem capazes de falar.

A partir dos 7 meses, a sua capacidade de compreensão encontra-se num estado de evolução, que desperta a sua atenção para os sons das conversas à sua volta, sentindo interesse pelas conversas dos adultos. Também, já consegue reconhecer o seu nome e toma atenção quando falar directamente com ele. No seguimento desta etapa, surge a lalação que consiste na repetição de sílabas, por exemplo, os deliciosos “gu-gu”/“da-da” que encantam os mais velhos, podendo manter-se até aos 9/10 meses, e também a fase de “imitação”, em que os bebés copiam não só os gestos, mas também os sons.

Por volta dos 10 a 11 meses, existe uma nova evolução (pode acontecer mais tarde), o bebé começa a juntar os vários sons, de forma a que pareçam palavras e frases: “ohh – ahh – mama”. Nesta fase, o desenvolvimento da linguagem dá um “salto”, por consequência dos estímulos que os bebés recebem para produzir “fala” como a dos seus cuidadores.

 

Ana Paiva

0 Comments